Ordem I.C.

A Ordem da Imaculada Conceição da Bem-Aventurada Virgem Maria, OIC, Monjas Concepcionistas, é um Instituto Religioso, de vida integralmente contemplativa, de direito Pontifício, com votos solenes (perpétuos) de Castidade, pobreza, obediência e clausura, com Regra e Constituições próprias.

stabeatrizFundada em 1484, por Santa Beatriz, sob a inspiração do Espírito Santo e a pedido da Virgem Imaculada, em Toledo-Espanha, nos Palácios de Galiana, cedidos pela rainha Isabel, a Católica; foi aprovada a 30 de Abril de 1489, pela Bula “INTER UNIVERSA” do Papa Inocêncio VIII e canonicamente ereta a 16 de fevereiro de 1491, sendo dotada de Regra própria pelo Papa Júlio II, a 17 de Setembro de 1511, em virtude da Bula AD STATUM PROSPERUM”. Essa regra própria é baseada na forma de vida instituída pela santa fundadora e por ela e por suas companheiras observada desde o início da fundação da Ordem.

Essa Ordem esta caracterizada por três heranças espirituais de Santa Beatriz: o Amor a Maria Imaculada, A Paixão de Jesus Cristo e a Santíssima Eucaristia.

As Concepcionistas foram, cronologicamente falando, as primeiras monjas do Novo Mundo. A Concepción do México foi erigida em 1540 a pedido do Bispo Juan de Zumárraga. As primeiras Clarissas chegariam a Santo Domingo em 1552, isto é, doze anos depois.

No nosso século a Ordem da Imaculada Conceição floresceu com uma fecundidade surpreendente, sobretudo na América Latina. Um total de 44 novos Mosteiros em pouco mais de meio século, 36 dessas novas fundações correspondem ao Brasil, México e Colômbia. No Brasil, atualmente, existem 19 mosteiros.

ordem imaculada conceição logo

Brasão da Ordem da Imaculada Conceição

Créditos: Federação Imaculada Conceição
http://concepcionistas.org.br

Espírito da Ordem Concepcionista

 

Cada Ordem religiosa tem as suas características próprias , qualquer coisa como o cunho da personalidade do seu fundador, e o traço original imprimido em vista ao fim que presidiu ao seu aparecimento no seio da Igreja. A isso se chama o espírito dessa Ordem, que se reflete em toda a sua estrutura e irradia de todo a sua ação. “ A Ordem Concepcionista tem por fim especial honrar a gloriosa prerrogativa da imaculada Conceição da Santíssima Virgem e de trabalhar, pela oração e pela penitência, à sua santificação das almas”-

Escreve Frei Rogério Conde na sua “ Vida de Santa Beatriz da Silva”.

E prossegue: “ Em virtude da sua consagração a Maria Imaculada, as monjas concepcionistas esforçam-se por imitar as virtudes da sua Divina Mãe e, sobretudo, a sua pureza angélica.

(…) A vida destas religiosas é, essencialmente, contemplativa, consagrada a exercícios de piedade e de mortificação”.

De fato o mundo desconhecem o maravilhoso poder duma vida toda unida a Deus: escondida em Deus- “abscondita cum Chisto in Deo”-

No dizer de São Paulo. Focos potentes de santidade que iluminam o mundo das almas! “nascentes de água a jorrar para a vida eterna”- como ensinou o Senhor à samaritana, junto do poço de Jacob, onde se sentara,”cansado do caminho”!

Frei Rogério Conde sublinha esta vocação da Ordem Concepcionista quando, depois da citada definição, “ A vida destas religiosas

É, essencialmente, contemplativa, consagrada a exercícios de piedade e mortificação”, explica:“Pela sua imolação contínua, são auxiliares da Igreja,Cooperando, com suas orações, na conversão dos pecadores. Ainda que o ofício divino e a meditação sejam a sua ocupação principal, entregam-se, não obstante, a trabalho manual próprio da sua condição”.Na obscuridade em que se escondem, só Deus poderá conhecer a magnífica fecundidade dessas existências voltadas para o céu, a fim de receberem os dons que Ele lhes manda espalhar na terra. Missões silenciosas e humildes de que só saberemos o segredo no dia em que tudo for revelado…

De fato, a Ordem da Imaculada Conceição perece apagar-se numa humildade que muito impressiona quem a observa. Isso mesmo nos faz notar Frei Rogério Conde, quando escreve: “ Quis a santa Madre Beatriz permanecer oculta na sua vida e na sua obra, oculta na mocidade, retirada por mais de trinta anos numa completa abstração de tudo o que é terreno. Dir-se-ia que imprimiu esse selo à sua fundação e às suas filhas;porque, se é certo que esta Ordem tem sempre brilhado em todo o gênero de virtudes, a verdade é que o mundo não tem dado conta dela, e assim tem vivido, em mais de quatro séculos de existência, como uma pequena flor do deserto, cujo perfume se exala para quem lhe deu o ser.

De igual modo esta Ordem tem passado pela terra sem ser conhecida senão quase pelas suas filhas somente”.

Nota ainda que ela foi e é, no entanto, objeto da solicitude dos Vigários de Cristo,que a têm distinguido com favores e privilégios especiais. Pois, apesar disso, continua a ser como a “florzinha do deserto cujo o perfume só se exala para quem lhe deu o ser”. Mas que importa, se neste desconhecimento do mundo, sabe que os olhos de Deus pousam nela com amor e complacência?! Nesse olhar encontra a única verdadeira riqueza “ Abscondita cum Christo in Deo”…