Frei Galvão

FREI GALVÃO
Frei Galvão– Santo Antonio de Sant´Anna Galvão (Antonio Galvão de França)

“HOMEM DA PAZ E DA CARIDADE”, que viveu sua vida em religiosa pobreza,contínua penitência e alegre simplicidade.

Dados Biográficos

 

terco FREI GALVÃO nasceu em 1739, em Guaratinguetá, Estado de São Paulo, Brasil.

11 de Julho de 1762 – Ordenado sacerdote no Rio de Janeiro;
1774 – Fundou o Recolhimento de Nossa Senhora da Conceição da Divina Providência, hoje Mosteiro da Imaculada Conceição da Luz das Irmãs Concepcionistas, conhecido como Mosteiro da Luz, na cidade de São Paulo;
23 de dezembro de 1822 – Frei Galvão adormeceu santamente no Senhor, no Mosteiro da Luz em São Paulo;
25 de outubro de 1998 – Beatificado em Roma pelo Papa João Paulo II;
11 de maio de 2007 – Canonizado em São Paulo. pelo Papa Bento XVI.

Família

Seus pais, Antônio Galvão de França e Isabel Leite Barros, deram aos seus 11 filhos profunda educação religiosa, exemplo de integral vida cristã e amor aos pobres.

Estudos e Formação
imaculadaconceicao
Com 13 anos de idade, em 1752, foi enviado pelo pai para o Seminário de Belém, na Vila de Cachoeira dos Padres Jesuítas, na Bahia, a fim de ter formação humana e cultural sólida, onde lá permaneceu até 1756.
No dia 15 de Abril de 1760, ingressou no noviciado do Convento de São Boaventura, Vila de Macacu, no Rio de Janeiro.
No dia 16 de Abril de 1761, fez a profissão solene e o juramento, segundo o uso dos Franciscanos, de empenhar-se na defesa da doutrina sobre a Imaculada Conceição de Nossa Senhora.
Com 23 anos de idade, em 11 de julho de 1762, é ordenado sacerdote, no Rio de Janeiro, celebrando sua primeira missa na Igreja de Santo Antônio em Guaratinguetá.
Frei Galvão foi profundamente marcado pela formação franciscana e devoção a Maria, cuja dimensão nos é revelada pela sua consagração à Imaculada Virgem Maria como “filho e escravo perpétuo” , assinada com o próprio sangue, em 09 de novembro de 1766.

Missionário

Em 1768, foi nomeado Pregador, Confessor e Porteiro do Convento de São Francisco de São Paulo e, logo em seguida, Confessor do “Recolhimento de Santa Tereza”
Fundou em 1774, o “Recolhimento de Nossa Senhora da Conceição da Luz da Divina Providência”, hoje Mosteiro da Imaculada Conceição da Luz das Irmãs Concepcionistas, conhecido como Mosteiro da Luz, na cidade de São Paulo.
Nos anos de 1776-1780 e 1792-1793, Frei Galvão foi Comissário da Ordem Terceira Franciscana de São Paulo.
mosteirodaluzEm 1802, Frei Galvão recebeu o privilégio de Definidor, pela solicitação do Provincial feita do Cardeal Pacca, Núncio Apostólico em Lisboa, Portugal, alegando que Frei Galvão é “ um religioso que, por costumes e por exemplaríssima vida, serve de honra e de consolação a todos os irmãos, e todo o Povo daquela Capitania de São Paulo, Senado da Câmara e o mesmo Bispo Diocesano o respeitam como um varão santo”.
Em 1807, recebeu o cargo de Visitador Geral e Presidente do Capítulo de 1808, cargos este que teve que renunciar devido seu estado de saúde abalado.

Falecimento

Frei Galvão faleceu no dia 23 de dezembro de 1822, às 10 horas, com 83 anos, e foi sepultado na Igreja do Recolhimento que ele mesmo ajudara a construir.
Seu túmulo encontra-se diante do altar-mor da Igreja, no Mosteiro da Luz, e sempre foi e continua sendo lugar de constantes visitas e de peregrinações de fiéis.

Sua Beatificação e Canonização

O processo de Beatificação e Canonização foi iniciado em 1938, reaberto solenemente em 1986 e concluído em 1991, tendo como postuladora a Irmã Célia B. Cadorin.
Aos 8 de abril de 1997 foi promulgado o Decreto das Virtudes Heróicas, passando a ser chamado Venerável.
Aos 06 de abril de 1998, foi reconhecido o Milagre para Beatificação, através do Decreto do Papa João Paulo II.
A celebração da BEATIFICAÇÃO foi aos 25 de outubro de 1998, presidida pelo Papa João Paulo II, na Praça de São Pedro, em Roma, Itália.
canonizacaofreigalvao2Aos 16 de dezembro de 2006, foi reconhecido o Milagre para Canonização e promulgado o Decreto, autorizado pelo Papa Bento XVI.
Milagre para a Beatificação: Foi a cura da menina Daniela Cristina da Silva, de 04 anos. Em 1990 ela estava internada no Hospital Emílio Ribas, em São Paulo, com hepatite tipo A, fulminante associada a oito complicações e duas infecções hospitalares, das mais graves e sem esperança para os médicos. A Menina tomou a pílula de Frei Galvão, dada pela própria mãe, e foi curada. Como a medicina não conseguiu explicar a cura, a Santa Sé aprovou o milagre.
A celebração da CANONIZAÇÃO foi no dia 11 de maio de 2007, no Campo de Marte, em São Paulo, Brasil, em concelebração presidida pelo Papa Bento XVI.

Milagre para a Canonização: Foi o caso da Sra. Sandra Grossi de Almeida e de seu filho Enzo de Almeida Gallafassi, da cidade de São Paulo, hoje residentes em Brasília.
A Sra. Sandra sofria de malformação do útero, que impedia que a gravidez chegasse ao final, sofrendo diversos abortos e correndo risco de vida em possíveis partos. Recorrendo ao Beato e tomando as “pílulas de Frei Galvão”, a gravidez chegou a trinta e duas semanas e nasceu o Enzo, no dia 11 de dezembro de 1999. O caso é cientificamente inexplicável no seu conjunto, segundo canonizacaofreigalvaoos conhecimentos científicos atuais, sendo reconhecido como miraculoso pela comissão médica a 18 de janeiro de 2006 e pela Comissão dos Teólogos a 13 de julho de 2006. A Congregação das Causas dos Santos, autorizada pelo Papa Bento XVI, promulgou, no dia 16 de dezembro de 2006, o Decreto a respeito do milagre atribuído à intercessão do Beato Frei Antonio de Sant´Anna Galvão.

(fonte: Arquidiocese de São Paulo)